contato-fone

Barnabitas

Os Barnabitas

Os Clérigos Regulares de São Paulo (CRSP), mais comumente conhecidos como Barnabitas, são uma das ordens religiosas de clérigos mais antigas na história da Igreja. Fundada em 1530, por Santo Antonio Maria Zaccaria, médico e presbítero, tem três institutos: Clérigos Regulares de São Paulo ou Barnabitas (para os religiosos); Freiras Angélicas de São Paulo (para as religiosas); e Leigos de São Paulo (para os leigos).

“Clérigos” são sacerdotes, membros do clero, “Regulares” são por viverem em comunidade, comungando a mesma regra de vida e professando os votos de pobreza, obediência e castidade, “De São Paulo” por terem o Apóstolo como modelo e guia.O nome “Barnabitas” vem da primeira casa-madre que era na igreja de São Barnabé, em Milão, até 1922, quando foi transferida para Roma.

Zelando pela tradição

O nome “barnabita” está diretamente ligado à história do Círio de Nazaré. Depois de dois séculos de devoção à Nossa Senhora de Nazaré em Belém, foram eles que passaram a zelar por essa tradição religiosa. Planejaram e construíram, com ousadia e fé, a Basílica Santuário, joia de rara beleza neoclássica, e o fizeram em louvor à Rainha da Amazônia. Sua construção foi iniciada em 1909.

Os Barnabitas chegaram ao Brasil em 1903 em dois grupos. O primeiro grupo assumiu o Seminário Diocesano de Belém e o outro estabeleceu-se em Petrolina. Poucos dias após o desembarque dos Barnabitas, a 21 de agosto de 1903, um jornal local estampou: “Os sábios Barnabitas em Belém”. A acolhida dos Barnabitas ficou a cargo dos Irmãos Maristas, também franceses, chegados em 1902 e que, já há seis meses, estavam estabelecidos no velho Convento/Colégio do Carmo. Em 1904, além de Belém, registra-se a presença Barnabita em Bragança.

Os Barnabitas estão, portanto, ligados ao patrimônio maior da religiosidade católica paraense quando, em janeiro de 1905, a Arquidiocese de Belém entregou-lhes a Paróquia de Nazaré. Centro incomparável de irradiação da devoção mariana, que tem no Círio de Nazaré a sua máximo expressão, constitui-se ainda hoje no mais significativo sinal de presença barnabítica no Norte brasileiro.

Desde a chegada dos Barnabitas, a movimentação religiosa que girava ao redor da devoção à Virgem de Nazaré cresceu notavelmente. Dados confirmam que em 1907 houve, só na Paróquia de Nazaré, mais de 38 mil comunhões, significando, para aquela época, enorme acorrida aos sacramentos.

Em 1970 foi criada a Província Barnabítica do Norte do Brasil. No Pará, os Barnabitas estão presentes em cinco cidades: Belém, Benevides, Bragança, Capitão-Poço e São Miguel do Guamá. Hoje, na Basílica Santuário de Nazaré, casa dos Barnabitas em Belém, conta com os padres: Luiz Carlos Nunes, Reitor do Santuário; Giovanni Incampo, Pároco de Nazaré; Pe. Mário Pozzoli; Pe. Mark Anthony Pondoc e Delgracias.

Atualmente, o padre paraense Francisco Chagas Santos da Silva, 52, é o Superior Geral dos Clérigos Regulares de São Paulo (Barnabitas). Nomeado em Julho  23 de julho de 2012 em Assembléia Geral dos Barnabitas ocorrida em Nápoles, na Itália.